Empreender e Teologar

"A convergência de dois olhares específicos em prol do bem comum"


Deixe um comentário

O ladrão, o Pastor, as Ovelhas e a Porta!?

ROBSON CAVALCANTI.

Referência bíblica Jo. 10.1-10.

Naquele tempo, disse Jesus: 1 Em verdade, em verdade vos digo, quem não entra no redil das ovelhas pela porta, mas sobe por outro lugar, é ladrão e assaltante. 2 Quem entra pela porta é o pastor das ovelhas. 3A esse o porteiro abre, e as ovelhas escutam a sua voz; ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz para fora. 4 E, depois de fazer sair todas as que são suas, caminha à sua frente, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. 5Mas não seguem um estranho, antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. 6Jesus contou-lhes esta parábola, mas eles não entenderam o que ele queria dizer. 7 Então Jesus continuou: Em verdade, em verdade vos digo, eu sou a porta das ovelhas. 8  Todos aqueles que vieram antes de mim são ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os escutaram. 9  Eu sou a porta. Quem entrar por mim será salvo; entrará e sairá e encontrará pastagem. 10 O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.

Estas meus Irmãos e Irmãs são Palavras de Salvação e de remissão dos nossos pecados.

Introdução

Esta passagem me faz lembrar muito das pessoas da comunidade que em suas rezas, pedem para Deus abrir algumas portas na sua vida, como por exemplo, trabalho, realizações de todo tipo. E quando algo dá errado, dizem que Deus fecha uma porta e abre outra. É interessante perceber o quanto a porta faz sentido nas nossas vidas, simbolizando a passagem de uma dificuldade para uma vida melhor.

Desenvolvimento

Hoje, dia do bom pastor, o evangelho nos propõe refletir essa passagem um tanto confusa, pois Jesus não é o bom pastor? Ele é a porta? O que isso quer dizer?

Jesus parte de uma cena comum no ambiente da Palestina para servir de metáfora para Ele explicar aos seus discípulos alguns significados, vejamos:

O Ladrão

O ladrão e assaltante é aquele que entra no redil das ovelhas por outro lugar, é um estranho, que as ovelhas o recusam a ouvir e seguir. E segundo Jesus esse só vem para roubar, matar e destruir.

O Pastor

O Pastor das ovelhas é aquele que entra pela porta, o porteiro o conhece e o autoriza, pois o Pastor tem livre acesso ao redil. Ele conhece suas ovelhas e as ovelhas o conhece. Ele chama a cada uma pelo nome e as conduz, indo a frente delas, pois elas conhecem a sua voz.

O termo Pastor na Bíblia, também é associado aos líderes religiosos que eram os Pastores do povo. A imagem do pastor é tradicional no AT, já foi aplicada a chefes, ao Rei, a Deus. Como exemplo, temos Davi o rei pastor, os profetas que usam essa imagem do Pastor, e os salmos como o 23 e 80 que aludem também ao Senhor que é Pastor.

O Redil e o rebanho

Na Palestina Antiga, os rebanhos das famílias passavam a noite no Redil que é um espaço para proteger os rebanhos da chuva, do sereno da madrugada e também dos ladrões. No Redil pode ser colocado mais de um rebanho e por isso cada Pastor chama as ovelhas pelo nome e elas atendem ao chamado do seu Pastor.

A questão dos nomes dos animais vem de uma Tradição antiga. Estes eram como se fossem filhos cf. o AT (2Sm.12,3;Gn. 2.19-20). Por isso um estranho que, ao tentar se colocar como guia do rebanho é rejeitado.

Por que Jesus é a porta?

A porta aqui no evangelho é um símbolo comum a todos. A porta do Templo sagrado, a Porta da Cidade Santa. Jesus é a Porta do rebanho! Neste sentido, Jesus se coloca como uma ligação, uma passagem para este encontro dos pastores com seu rebanho e do seu rebanho com o mundo exterior ao redil. Jesus afirma que os que vieram antes dele são falsos profetas, pois os líderes farisaicos não aceitaram Jesus e guiava os rebanhos por caminhos que não são da vontade de Deus. Mas Jesus se apresenta como a porta de acesso para a salvação e vida abundante!

E hoje?

Jesus continua sendo a passagem que devemos procurar passar todos os dias da nossa vida em busca da salvação. É a ligação entre o ser humano e o sagrado. Jesus garante, quem passa por Ele, tem livre acesso e encontra pastagens, ou seja, alimento para vida. Muitos, porém ainda são tentados a passar por outros lugares sem ser a porta.

Nós somos as ovelhas da qual Jesus quer muito que passemos por ele, para entrar em contato com o mundo exterior que pode significar o redil como a Igreja e fora dele o nosso cotidiano. Para encontrar luz, vida, alimento, para caminhar em meio ao mundo que vivemos, é preciso passar por Jesus.

Aqueles Pastores e Pastoras que estão em contato com Jesus, entrando e saindo da porta, sempre encontram alimento espiritual para si e para a comunidade. E, portanto, essa é a finalidade da porta. Dar esse acesso à vida, pois o pasto está fora do redil e precisa de alimento espiritual e para o sustento. A vida abundante está entre o nosso mundo com as suas implicações e contradições. Ao passarmos pela experiência com Jesus, essa porta nos leva a uma vida mais coerente com a vontade de Deus.

Esta experiência permite que seu líder, convoque seu rebanho de fiéis para a escuta e a prática da palavra pregada, chame cada um pelo nome, conheça cada um e cada uma pelo nome. E nós como rebanho, também conhecemos com intimidade nosso Líder, nosso Pastor ou Pastora.

Mas, infelizmente há também em nossos meio muitos lideres, sejam eles, padres, religiosos e leigos e leigas, que preferem pegar atalho, não passando por essa porta chamada Jesus. Ocorre que este não passa confiança ao povo, não traz uma boa nova do evangelho com segurança, ilude e engana o povo. Esta mensagem é uma crítica de Jesus àqueles que nos seus projetos são individualistas e egoístas, buscando guiar a comunidade sem colocar Jesus como referência, repetindo as atitudes e os gestos de Jesus. Quem não passa pela experiência com Jesus vive sua própria ambição, causando ruína e destruição na comunidade. Este é ladrão e assaltante, pois este rouba, mata e destrói a vida da comunidade.

Irmãos e Irmãs. Que possamos dar mais um passo na nossa vida de entrega a Jesus Cristo, dando testemunho do evangelho, imitando Jesus Cristo através dos gestos de amor e graça, como união, compreensão, solidariedade, verdade, fraternidade entre nós com muita Fé Esperança e Amor.

Amém!

Por ocasião do 4º Domingo da Páscoa. Dia do Bom Pastor e Jornada Mundial de Oração pelas vocações sacerdotais e religiosas.

Anúncios


Deixe um comentário

O tempo das utopias mínimas viáveis

Leonardo Boff

Não é verdade que vivemos tempos pós-utópicos. Aceitar esta afirmação é mostrar uma representação reducionista do ser humano. Ele não é apenas um dado que está ai fechado, vivo e consciente, ao lado de outros seres. Ele é também um ser virtual. Esconde dentro de si virtualidades ilimitadas que podem irromper e concretizar-se. Ele é um ser de desejo, portador do princípio esperança (Bloch), permanentemente insatisfeito e sempre buscando novas coisas. No fundo, ele é um projeto infinito, à procura de um obscuro objeto que lhe seja adequado.

É desse transfundo virtual que nascem os sonhos, os pequenos e grandes projetos e as utopias mínimas e máximas. Sem elas o ser humano não veria sentido em sua vida e tudo seria cinzento. Uma sociedade sem uma utopia deixaria de ser sociedade, lhe faltaria um fator de coesão interna, um rumo definido pois afundaria no pântano dos interesses individuais ou corporativos…

Ver o post original 702 mais palavras